Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tudo a Meias

Histórias que chegam ao telhado. Agora também nas 'Netherlands'.

Espera criativa

por tudoameias, em 19.03.13

 

Espera criativa

 

Agora me apercebo a triste figurinha que faço à espera de um contacto telefónico muito importante. É quase sempre assim, olho para o ecrã persistentemente como se isso fizesse acelerar o processo. Abro e fecho páginas, faço refresh ao e-mail, ouço uma música durante 30 segundos e depois troco por outra. Na espera, nada me consegue prender.

A culpa é da internet. Quando era pequena tinha muita paciência para esperar. Esperar pelo autocarro, pela mãe, pelo filme recomeçar na televisão, pelo namorado no parque, por aquela amiga que já não via há anos. Agora, esperamos na internet. Ocupamos o tempo da espera a navegar ou a jogar um jogo no telemóvel.

Dantes, contava os carros que passavam ou o número de pessoas. Contava o número de estrelas, o número de pedras que encontrava, ou fazia jogos de memória com as matrículas dos carros. Ou, simplesmente, conversava (quando tinha alguém ao meu lado) ou desenhava nos cadernos. Com lápis e a autêntica borracha verde.

Agora, aqui estou a esperar em frente ao computador e a ocupar a minha espera de forma criativa. Escrever. Qualquer idiotice que seja. (apesar de não ser a lápis ou caneta). Refletir nas pessoas anti-sociais que nos tornamos. Tudo menos navegar sem destino!

Irónico como vejo muita gente isolar-se mesmo no ambiente mais social do mundo: estar com os amigos. Sabemos que aquele amigo de longa data comentou a nossa foto, ou que o governo não cede nas privatizações mas não conseguimos desligar o botão, entregarmo-nos naquele instante e simplesmente estar lá, desfrutar enquanto se espera. Deixamos de saber esperar? SIM.

Não me resigno e essa é uma batalha que hei-de ter todos os dias com as pessoas de quem gosto. Entretanto, o Skype tocou e a minha espera terminou. Valeu a pena.